terça-feira, dezembro 24, 2013

lua



Neste mar,
oceano do teu sentir
tormenta da tua falta,
em mim,
só este rio,
que nasce nas recantos da tua alma,
me serena
e me faz ser o que és.
Feito de mel e lilás,
de boa dor
plenitude da tua presença ausente,
totalidade do teu ser,
inutilidade de verbo,
que desagua na imensidão do teu olhar,
e é a face do icebergue,
que se nos revela
e nos descobre.
Em Ti,
em Mim,
em Nós,
nosso plural
que Uno é.
E nos guia,
a cada nossa lágrima
e lua.

2 comentários:

livia Alves disse...

Nossa é vc que escreve tudo isso?
Parabéns viu,adoro seu blog

Rogério Freitas Sousa disse...

muito grato.

seguidores