sexta-feira, julho 25, 2008

Afinal.

Claudia Perotti Multiply


Tudo será.

A tua sede
sedosa pele,
a tua vertigem
gélido calor.
o teu anseio
negro desdém.

Tudo persiste ser.

O teu sentir,
perfume ausente,
o teu vislumbre
cega visão.

A ser, nada será.

Na penumbra
e no limbo,
vou acreditar,
Afinal.

2 comentários:

Claudia Perotti disse...

Uma grande surpresa encontrar uma foto minha ilustrando teu texto tão bem escrito. Tão intenso! Tão lindo!

Agradeço a surpresa, querido!

Beijinhosssssssssss

rfs disse...

claudia: :)
mas acho que fala tanto quanto o texto.

seguidores